Peitos Lisos, Ligaduras e Alternativas

Há alguns dias atrás mostraram-me um vídeo chamado "Break Free", que retrata a transição de uma pessoa de uma aparência feminina para masculina. O video está engraçado, mas lá para o meio mostra uma cena durante a qual a personagem começa a enfaixar o peito com ligaduras, com o objetivo de criar uma ilusão de ter um peito liso, masculino.



Esta é uma imagem que eu vejo demasiadas vezes para retratar homens transexuais. Quase todas as aparências de trans masculinidade trazem consigo uma cena onde a pessoa pega em ligaduras e se mete a enfaixar o peito, como se tal fosse o único método para criar um peito liso.



Este tipo de imagem é frequente porque, infelizmente, este ritual das ligaduras ainda faz parte da vida de um homem transexual. Se eu fosse contar a minha história em pormenor, as ligaduras também apareciam por lá. É bastante negativo que assim seja, porque usar ligaduras com este propósito é muito pouco saudável e pode causar problemas a curto, médio e/ou longo prazo.

Eu costumava usar ligaduras, e posso confirmar que é péssimo. Alguns dos problemas que encontrava incluíam:
- Dificuldade em respirar: as ligaduras não têm muita elasticidade, o que significa que não acompanham os movimentos de expansão da caixa torácica durante a respiração;
- Dificuldade em apertar corretamente as ligaduras: apesar de as ter usado durante algum tempo, nunca consegui atinar com o método certo para as apertar. Se apertava pouco elas caíam, se apertava demasiado passava o dia com imensa dificuldade em respirar e num desconforto enorme; pior ainda quando o tinha de fazer às escondidas, a meio do dia, num WC público;
- por falar em ligaduras a cair, era bastante comum as ligaduras saírem do sítio e desfazerem-se durante o dia (principalmente em dias mais movimentados, quando tinha de correr para apanhar um autocarro ou quando tinha de fazer algum tipo de atividade mais física);
- não são assim tão baratas a longo prazo: as ligaduras que eu usava custavam cerca de €2.5, o que parece pouco, mas quando tinha de comprar umas novas a cada duas semanas, acabava por me ficar caro caso as usasse durante um ano (2.5*2*12 = 60 euros/ano);
- paranóia constante: quando usava ligaduras estava constantemente a verificar se ainda estavam no sítio, se nenhum dos ganchos de tinha soltado ou se não se notavam debaixo da camisola;
- irritação da pele: principalmente de lado, abaixo das axilas, à mistura com suor, o material das ligaduras não era muito amigável para a pele.

Além disto, as ligaduras podem causar hematomas ou, em casos extremos, costelas partidas. Portanto, a lição a tirar daqui é: não usar ligaduras para enfaixar o peito.

Felizmente, existem alternativas. Existem vários métodos que também são eficazes para criar a ilusão de um peito liso. Não existe um único método que funcione bem com toda a gente; dependendo do tamanho do peito e da estrutura corporal de uma pessoa, certos métodos podem resultar melhor do que outros. 

Eu já experimentei vários métodos diferentes e acabei por me render aos chamados "binders" (não consigo encontrar uma tradução da palavra binder para o português). Binders são uma espécie de camisola de compressão, inicialmente foram concebidos para esconder as mamas de homens cissexuais que sofrem de ginecomastia (uma condição que leva ao crescimento de mamas em homens cis), mas rapidamente a população trans começou a usa-los para o mesmo fim. Normalmente, só se encontram binders à venda em lojas especializadas. Algumas marcas bastante populares entre homens trans são a Underworks (EUA), a T-Kingdom (Taiwan) e a Mansculpture (EUA). A única loja que eu conheço baseada na Europa é a Danae (Holanda), mas não conheço bem os binders dessa marca. 
Os binders costumam ser o método por excelência para criar um peito liso. Existem várias marcas, vários modelos e vários tamanhos para escolha; o único senão costuma ser o preço. 

Parecidos com os binders são as camisolas de compressão usadas por atletas de várias modalidades. Estas podem encontrar-se em mais locais e a preços mais acessíveis, mas normalmente não têm tanta capacidade de compressão como um binder. 

Além destes produtos, existem alguns métodos mais "caseiros".
Um soutien de desporto pode ajudar um bocado, havendo até quem use dois ao mesmo tempo para dar alguma compressão extra. No entanto, um soutien, mesmo de desporto, não é concebido para alisar por completo o peito. 

Também já vi pessoas a descrever métodos que usam faixas de neopreno, calções de compressão modificados ou outros métodos caseiros. E, se tudo o resto falhar, há sempre a estratégia de usar várias camadas de roupa ou roupa larga para disfarçar um bocado (óbvio que isto resulta melhor no Inverno do que no Verão).

Independentemente do método usado, é importante manter algumas coisas em mente. Por vezes, usar um destes métodos acaba por ser um jogo de forças entre o desconforto físico de comprimir o peito versus o desconforto psicológico (e também físico) de ter de lidar com a disforia. No entanto, caso isto provoque dor durante um longo período de tempo, considerem mudar o método ou mudar a forma como lidam com a compressão. Uma dor aguda costuma ser uma deixa para retirarem de imediato o que quer que seja que estejam a usar para comprimir o peito. Nós queremos aliviar a disforia, mas não compensa o esforço se acabarmos por partir uma costela ou por arranjar algum problema respiratório à custa disso.

É preciso também ter em atenção a quantidade de tempo seguido durante o qual temos o peito comprimido. Normalmente, aconselha-se a não usar qualquer um destes métodos por mais de 8 horas seguidas. Mesmo que estejamos confortáveis, o nosso corpo precisa de pausas para recuperar da compressão. Além disto, é importante saber que, a longo prazo (se usarmos estes métodos durante anos) pode ocorrer uma diminuição da elasticidade da pele nas zonas comprimidas, o que pode comprometer os resultados de uma eventual mastectomia. 

Para quem sua muito ou tem a pele particularmente sensível, pode ser uma boa ideia usar algum produto que diminua a fricção ou uma t-shirt por baixo do binder/camisola de compressão/soutiens múltiplos/etc. Nunca (nunca!) usem fita cola, mesmo que a vossa pele não seja sensível; a fita cola pode causar danos na pele, para além do desconforto enorme que causa (eu nunca hei de perceber como é que há gente que usa este método, mesmo que seja apenas durante performances de drag). 

O ponto fulcral costuma ser usar o bom senso. Se dói demasiado, parem e mudem o método. Se está demasiado desconfortável, ajustem ou façam uma pausa. Não testem os limites do vosso corpo. Nós estamos a tentar ficar confortáveis dentro da nossa própria pele, portanto seria altamente contra produtivo estar a induzir lesões que poderiam ser evitadas com relativa facilidade. 

Eu estou a planear fazer um post mais aprofundado sobre métodos para alisar o peito. Caso tenham alguma experiência, dica ou método que queiram partilhar, deixem um comentário aqui.